sexta-feira, março 07, 2008

A estrela mais linda é ela


Desde ontem, dia 6 de março, a constelação que decora o céu ficou ainda mais brilhante, ainda mais forte. É que chegou uma estrela nova, forte, linda, bondosa e toda amorosa.


O nome desta estrela é Maria da Conceição. Desde ontem, minha mãe deixou este plano terrestre para se tornar uma estrela. Ao meu ver, a estrela mais bonita e radiante que existe no céu. Eu, egoisticamente, queria que ela ainda estivesse aqui junto conosco. Mas o Arquiteto do Universo assim quis e chamou a minha mãe para o lado Dele. E sabe como é, com o Chefe não tem tergiversação.

A saúde da Dona Maria ficou debilitada de fevereiro para cá. As dores começaram a ser constantes nela. E imagino que fossem dores lancinantes, porque minha mãe nunca foi de fazer fita.

Tudo aconteceu muito rápido. Entre terça e quarta-feira foram 3 hospitais envolvidos. Infelizmente, o coração gigante e bondoso dela (coração de mãe mesmo) parou de bater na manhã de quinta-feira. Ela foi embora, mas foi melhor desse jeito do que viver sofrendo ou ficar com seqüelas.

É, minha gente. Para morrer, basta estar vivo. Tanto com o meu pai quanto agora com a minha mãe, foi tudo muito rápido. Acredito que Deus, Oxalá, Jeová, Tupã, Alá, Zeus ou seja qual for o Ente Superior que nos guia quando chama para Si essas pessoas especiais, o faz sem que elas sofram. Claro que para nós, que ficamos, o sofrimento é enorme.

Chorei bastante, me emocionei, mas tenho a consciência tranqüila de que fui um bom filho, que eu sempre tratei a minha mãe com muito carinho, com muito afeto e amor, me preocupava com ela e tudo que a gente pôde fazer para mantê-la aqui conosoco foi feito. Eu ja tinha dito isso quando da morte do pai: se eu pudesse doar anos da minha vida para o meu pai ou a minha mãe viverem um pouco mais eu faria.

Bem, o que interessa agora é que mamãe descansou e, de certa forma, nós, familiares, também, pois quando uma pessoa adoece, toda a familia fica doente também. Esse é o consolo que fica.
Portanto, para aqueles que a conheceram (e para os que não a conheceram também) quando olharem para o céu e virem uma estrela bem brilhante, abanem para ela e digam "Oi, dona Maria". Com um pouco de atenção, vocês poderão reparar que a estrela irá sorrir e retribuir o aceno também.

E depois de quase 5 anos de separação, minha mãe, Dona Maria se reencontra novamente com meu pai, o Seu Paris. Já que eles estão juntos novamente e provavelmente felizes, aqui eu fico feliz por eles também.

Obrigado por tudo. Te amo, mamãe querida!

5 comentários:

piscimail disse...

Tive a felicidade de conhecer os dois na tua casa, além de ouvir os sempre atenciosos "alôs" ao telefone quando te ligava. Tenha certeza que teus pais sabiam o filho maravilhoso que tinham, Gerson. E disseste tudo: estão juntos novamente - busca nisso um pouco de força para seguir em frente nesta nova etapa de vida, "cumpadi". Um grande beijo pra ti!

Carlos André disse...

Meus pêsames, Brisa.

Um texto muito bonito e muito sincero.

Que tires força da lembrança desse afeto e desse carinho para seguires adiante.

Abração.

Carlos Ismael disse...

Caro Brisa,
Que a força dessa tua estrela brilhe sempre forte para guiar teus caminhos. A Dona Maria fez um excelente trabalho, pois tu és um cara fantástico. E agora, lá do céu, ela vai continuar te iluminando. Muita força na tua caminhada, e conte com o recente, porém sincero e leal amigo para o que der vier.
Um grande abraço.

Carol (Tita) Aragón disse...

Sabe, não nos conhecemos, mas duas pessoas que eu gosto muito, sempre falam em ti: minha mãe, Léa, e meu amigo Tiago Dias.

Vim aqui só te dar um abraço e te dar força neste momento especial. As boas lembranças vão te acompanhar pra sempre e a saudade vai amenizando, cada dia um pouquinho, enchendo de luz o teu coração.
Fica bem!
Um abraço.

Ferdibrand disse...

Meus sinceros e fraternos sentimentos, meu amigo, e que essa estrela brilhante sempre te conduza e ilumine o caminho, que sempre trilhaste tão bem.

Abraços!